Tech

Como o Design UX aumenta conversão de leads e de vendas

O design UX pode trazer diversos benefícios para uma empresa. Neste artigo falaremos especificamente, de como ele pode te ajudar a aumentar suas vendas.

Como a metodologia UX pede, vamos direto ao ponto, sem enrolação: o Design UX é a metodologia que pensa na experiência do usuário com uma interface.

É quase inviável desenvolver um site ou outro produto gráfico, que terá interação com o público, sem pensar em como essas pessoas reagirão a ele.

Boas experiências levam a um bom e positivo posicionamento de marca, fidelização de clientes e, consequentemente, conversão de vendas e leads. E é sobre isso que falaremos neste artigo. 

Fonte: abc da comunicação

Por que e como

O primeiro passo para pensar em UX como ferramenta de conversão é ter as respostas dessas duas perguntas.

Por que

Aqui temos o objetivo, quando falamos em conversão precisamos saber para o que iremos converter: leads, vendas ou qualquer que seja o foco. Para o designer UX conseguir traçar um plano efetivo, ele precisa saber o objetivo daquele planejamento.

Como

Aqui vem o planejamento em si. É importante mapear a jornada do consumidor. Neste momento, o design de user experience pode ser útil.

Por exemplo, a empresa já definiu que o foco é em novos leads. A partir daí o designer pode traçar detalhadamente o caminho que o usuário irá seguir até que enfim aquela visita seja convertida.

Ferramentas

Depois disso vem a escolha de ferramentas que serão utilizadas. O conteúdo é uma das ferramentas mais simples e eficazes para conversão. É bom deixar claro que este conteúdo pode vir em vários formatos.

Se o seu foco é em leads, um blog pode ser uma boa opção. Publicar artigos que abordam temas interessantes para o seu público pode gerar novas oportunidades. Mas se o foco for em vendas, por exemplo, legendas e textos descritivos bem estruturados podem ter grande impacto na jornada do consumidor. 

O design Ux pode ajudar a posicionar estes conteúdos. Os textos podem ser os melhores, mas se a maneira como eles chegarão até o usuário não for bem estruturada, a qualidade não terá tanto impacto.

Textos e imagens jogadas de qualquer forma e desorganizadas, tornam a experiência do usuário ruim, logo ele sai mais rápido do site e aquela oportunidade é desperdiçada. 

Conteúdo para conversão

Fonte: Medium

Existe um termo chamado UX Writing, assim como o designer UX, o writing é o redator que foca na experiência do usuário. Este profissional fica responsável por desenvolver o texto que será publicado de forma estratégica, pensando em como o leitor se sentirá ao ler aquele conteúdo. 

No entanto, este redator não precisa necessariamente escrever todo o conteúdo do zero, mas o papel de revisar e dar os toques finais ao conteúdo, é dele. É claro que esta é uma etapa que se desenvolve junto ao design, pois o redator precisa saber o tamanho dos blocos de textos, por exemplo, para saber o quanto pode escrever. 

Vamos pensar no meio utilizado pela empresa. Aqui estamos falando em conversão digital, então o primeiro passo é ter um ambiente online atraente para o cliente.

Pense que se o seu foco é vendas, então é necessário uma loja virtual organizada e segura para o comprador. Se o objetivo for conversão em leads o melhor a se fazer é um blog bem estruturado com artigos que sejam de interesse dos clientes em potencial. 

Para ficar mais claro vou dar exemplos dentro destes segmentos. 

Conversão em vendas

Vamos supor que o seu objetivo é que o cliente entre e já efetue uma compra ali mesmo. Para que isso ocorra, é necessário preencher alguns pré requisitos.

Fonte: Medium
  • Jornada: Se o site já está preparado para fazer tal transação, isso precisa ficar claro para o consumidor. Nesta hora o design UX pode ajudar a pensar em descrições, posição de botões ou ícones e formato visual da loja para que o consumidor seja levado a efetuar a compra ao final da jornada. 
  • Clareza: Além de deixar claro para o cliente que a compra pode ser feita ali, também é preciso que este entenda como fazer tal ação. Então, textos descritivos, chamadas para ação claras e objetivas, botões e ferramentas precisam estar a vista do usuário.
  • Segurança: Talvez este seja um dos pontos mais importantes em vendas. Uma pessoa não vai comprar online se ela não se sente segura naquele ambiente. Isso porque este ato envolve dados importantes e pessoais. Aqui o designer UX pode pensar em uma forma fazer este comprador se sentir seguro em relação ao site.

Conversão de leads

Aqui o cenário muda um pouco. Neste caso, o foco não é em vendas e sim na captação de novos leads, ou seja novos possíveis clientes.

Se este for o caso, uma loja virtual fica fora de questão e aí deve-se partir para novos artifícios.

Vamos pensar em um blog. Se a sua empresa presta consultorias contábeis, um local para divulgar conteúdos que possam ser de interesse dos possíveis clientes, pode te ajudar.  Mas como fazer deste local, um espaço útil?

Fonte: Hotmart
  • Jornada: Mais uma vez temos este tópico. Isto por que os movimentos que o usuário faz até chegar ao objetivo final são de extrema importância. Se o objetivo é fazer com que o leitor preencha um formulário, o designer UX precisa pensar e traçar o caminho certo, sem interferências, entre a leitura do conteúdo e o preenchimento dos dados. 
  • Experiências antigas: O foco é sempre em novas experiências, mas as antigas podem ajudar a traçar novos planos. O número de views que os artigos possuem, podem mostrar se aquele conteúdo tem sido útil ou não. Se o blog não está convertendo leads, a análise de visitas e interações antigas do site podem ajudar a entender o problema. 
  • Tempo: Talvez um artigo não seja o suficiente para transformar aquele usuário em lead. No entanto, considerando que você publica artigos interessantes com frequência, o tempo que o consumidor passa no site pode gerar frutos. Aqui, novamente, cabe ao designer UX verificar se a interface leva aquele leitor a ficar ou a sair do site. 

Promo.com

Depois de tudo isso você ainda tem dúvidas da eficácia do UX design? Ok, vou lhe dar um exemplo que mostrará como tudo funciona na prática. 

Em 2017 um designer UX, recebeu a tarefa de redesenhar a página de preços da plataforma de produção de vídeos, Promo.com. As equipes de edição e design viram a oportunidade de aumentar a conversão de vendas através de uma comunicação curta e simples. 

O maior problema era como dar ao usuário as informações necessárias, sem sobrecarregá-lo com muitos dados ou assustá-lo com os preços. 

O projeto foi desenvolvido em três etapas: Entender a psicologia de outras páginas de preços eficazes, oferecer um novo modelo de cobrança e por fim, criar uma experiência de usuário mais positiva. 

Foi adicionado ao layout cartões animados e incluídas as seções “Perguntas frequentes” e “ Depoimentos”. Durante o período de desenvolvimento, vários testes foram realizados para saber o que realmente funciona e o que é dispensável. 

Em 2018 a equipe teve êxito ao perceber que durante aquele ano, o aumento na conversão de vendas foi significativo em relação aos anos anteriores.

E o Design?

Fonte: Studio Visual

Por fim, temos o design em si. Nesta etapa, já foi definido objetivo, Já sabemos importância de conteúdos úteis, simples e claros e já sabemos o que fazer para atrair e prender a atenção do usuário. O que resta é definir como tudo isso será apresentado para o cliente em potencial.

Aqui, conhecer o seu público e suas experiências antigas é muito válido. 

O designer UX neste momento organiza tudo que foi planejado e construído de forma estratégica visando a conversão. Aqui, é onde ele decide se o formulário a ser preenchido deve ficar depois do artigo ou ser uma barra fixa.

Deve pensar se o botão de “concluir compra” deve levar a outra página ou apenas confirmar a ação de forma mais simples. Ele deve se lembrar e pensar nas emoções boas ou ruins que o usuário pode vir a ter enquanto estiver naquele processo. 

Ao final de tudo, um ambiente gráfico devidamente pensado e arquitetado especificamente para o seu público, pode aumentar significativamente a taxa de conversão. Uma vez que a ação final esperada será feita digitalmente, por que não tornar aquele, um espaço virtual propício para conversão?



Autor

bowe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *